Editorxs

Ana Paula Alves Ribeiro

Ana_foto

Sou pesquisadora de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais na UFRRJ. Tenho graduação e mestrado em Ciências Sociais pela UERJ e doutorado em Saúde Coletiva (IMS/UERJ).  Faço parte do Grupo de Análises de Políticas e Poéticas Audiovisuais – GRAPPA (UFRRJ), do Núcleo de Pesquisa em Cultura, Identidade e Subjetividade – CULTIS (UFRRJ) e colaboro com o Núcleo de Estudos Afro-brasileiros – NEAB/UERJ e com o Museu Afro Digital Rio (UERJ). Minhas áreas são Antropologia e Metodologia da pesquisa e os temas de interesse são cidade, cinema, cultura afro-brasileira e políticas públicas.

Entre tantas coisas, gosto de poesia, música, viagens, HQs, feiras e percussão.

No cinema tenho uma queda por documentários, musicais e animações … Independente do que gosto, vi e do que me inspira, sempre volto para casa e casa significa Leon Hirzsman, Spike Lee, Eduardo Coutinho e Alfred Hitchcock.

Livros Publicados

RIBEIRO, Ana Paula Alves (Org.) ; GONÇALVES, Maria Alice Rezende (Org.). História e Culturas Africana e Afro-Brasileira na Escola. 1. ed. Rio de Janeiro: Outras Letras, 2012. v. Único. 127p.

RIBEIRO, Ana Paula Alves (Org.) ; GONÇALVES, Maria Alice Rezende (Org.) . Diversidade e Sistema de Ensino Brasileiro. 1. ed. Rio de Janeiro: Outras Letras, 2012. v. Único. 150p.

Videos:

A Lenda da Criação do Mundo e dos Orixás. Coordenação: Maria Alice Rezende Gonçalves; Produção e Pesquisa: Maria Alice Rezende Gonçalves, Ana Paula Alves Ribeiro e Cristiano Cardoso. Realização: Equipe NEAB/UERJ.

Kleber Amancio
blog_foto_Kleber
Trata- se de um historiador. Isso já define grande parte de seus interesses. Tem fixação por micro-história, história social, política e artes visuais. Tem graduação em História pela UNICAMP e mestrado pela USP, junto ao programa de pós-graduação em História Social. Instituição essa onde atualmente desenvolve pesquisa de doutorado. Especializou-se em História do Brasil da Primeira República, sobre pós-abolição, assim como acerca da história da arte desse período.

 

 

Luis Felipe Kojima Hirano

AnpocsSou Professor de Antropologia da Universidade Federal de Goiás. Tenho formação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (2007) e realizei meu doutorado em Antropologia Social pela mesma instituição com a tese intitulada: “Uma interpretação do cinema brasileiro através de Grande Otelo: raça, corpo e gênero em sua performance cinematográfica (1917-1993)”. Minhas áreas de interesse na antropologia são teoria, cinema, imagem, percepção e os debates que envolvem a intersecção entre raça/etnia, gênero, corpo e sexualidade. Em 2011, tive a oportunidade de ser Fellow da Faculty of Arts and Sciences da Universidade de Harvard, onde estudei a representação racial no cinema hollywoodiano e pude ter um pouco da experiência das relações raciais nos Estados Unidos.

Sou membro do GRAPPA (Grupo de Análises de Políticas e Poéticas Audiovisuais – UFRRJ). Além disso, coordeno a Coleção Antropologia Hoje, do Núcleo de Antropologia Urbana da USP.

Akira Kurosawa, Orson Welles, Yosujiro Ozu, Jean Rouch, Joaquim Pedro de Andrade, Glauber Rocha e Rogério Sganzerla, estão entre meus cineastas preferidos.

Nas horas vagas me dedico a arranhar o violão, o contra-baixo e Ukulele.

Principais artigos acadêmicos:

Cinema e estereótipos: o que a interpretação de Grande Otelo tem a dizer sobre raça, gênero e sexualidade?

O imaginário da branquitude à luz da trajetória de Grande Otelo: raça, persona e estereótipo em sua perfomance artística

A cor e o som: Os Músicos na Pintura de Portinari

Tradução:

“Fora de contexto: as ficções persuasivas da antropologia”, de Marilyn Strathern.

Tatiana Lotierzo

blog piriSou jornalista e historiadora formada pela Universidade de São Paulo (USP). Na mesma universidade, também fiz meu mestrado, na área de Antropologia Social. A dissertação chama “Contornos do (in)visível: A redenção de Cam, racismo e estética na pintura brasileira do último Oitocentos”. Estou prestes a iniciar  meu doutorado em Antropologia Social na Universidade de Brasília (UnB), onde espero desenvolver um trabalho sobre a arte contemporânea indígena. Em 2008, participei do Programme Courants du Monde, na Residência “Cultura: Cinema-Audiovisual”.

Principais artigos acadêmicos:

LOTIERZO, T. ; SCHWARCZ, L. M. Raça, gênero e projeto branqueador: A redenção de Cam , de Modesto Brocos. Artelogie (Online), v. 1, p. 1-25, 2013.

LOTIERZO, T. Significação e emoção estética: Lévi-Strauss e um olhar antropológico sobre a arte. Cadernos de Arte e Antropologia, v. 2, p. 109-127, 2013.

Tradução:

“Fora de contexto: as ficções persuasivas da antropologia”, de Marilyn Strathern.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s